Loading...

Total de visualizações de página

Pesquisar este blog

15 de dezembro de 2012

Poemas alagoanos

Quem sou

José Alberto Costa

Sou daqui das Alagoas,
da Terra dos Marechais,
das praias, dos coqueirais,
sertão, canais e lagoas,
caju, cocadas das boas,
cana, melaço cheiroso,
sururu mais que gostoso,
se duvidar faça um teste.
Sou filho deste Nordeste
por isso sou orgulhoso.

Meu versejar nordestino
vem dos coqueiros da praia
como o mar que se espraia
sobre areal cristalino,
riso doce do menino
suspiro de sonhador
é santo sobre o andor
é tema de cantoria
um arrebol de alegria
na boca do cantador.

Vem do mar de Pajuçara
de beleza sem igual
princesa do litoral
que a natureza prepara,
coisa fina, joia rara,
que hora é azul-turquesa
logo pra sua surpresa
toma o verde da esmeralda
formando bela grinalda
para uma nobre princesa.


A borboleta e a menina

José Alberto Costa

A borboleta amarela
veio da rosa pra mim,
em minha mão calejada,
deixou olor do jasmim,
um momento comovente
que só se vê num jardim.

A borboleta e a rosa
se confundem na folhagem,
uma nasce perfumada,
outra parece miragem,
uma vive no jardim,
a outra está de passagem.

A menina acompanhou
aquela cena tão bela
desejando criar asas
e sair pela janela
beijando todas as flores
qual borboleta amarela.


Síndrome do medo

José Alberto Costa

Fecho-me em casa.
Fecho-me no carro.
Fecho-me no trabalho.
O medo me cerca,
a noite me apavora.
Perco a liberdade,
esqueço de viver,
aos poucos me fecho
dentro de mim mesmo.

JOSÉ ALBERTO COSTA – O jornalista, fotógrafo e poeta alagoano José Alberto Costa, também conhecido como Jac, é ex-bancário e executivo de empresas estaduais. Foi secretário de Comunicação do governador Theobaldo Barbosa. Foi fotógrafo de cena do primeiro filme de Joaquim Alves, "Crise", premiado no 1º Festival de Cinema Brasileiro de Penedo. É membro da Academia Maceioense de Letras, de vários grupos culturais e autor do blog Verso@Reverso.